Magalhães destaca encontro do PT para tratar das eleições de 2022

O deputado estadual Cícero Magalhães (PT) anunciou na sessão híbrida da Assembleia Legislativa que o Partido dos Trabalhadores fará um encontro nesta quinta-feira (1º/7) para discutir as diretrizes do partido e as eleições do próximo ano. O orador ressaltou a história de diálogo dentro do PT, desde a sua fundação, e as decisões, que são tomadas pelo colegiado, pelas instâncias do partido.

Magalhães insistiu que o PT já está praticamente com as chapas de candidatos a deputado estadual e deputado federal formadas e não pretende aceitar filiações de deputados de outros partidos que tenham uma maior densidade eleitoral. Para ele, devem ser valorizadas as lideranças históricas que construíram o partido, mas que tem menos votos do que aqueles que querem agora migrar a sigla.

Segundo Cícero Magalhães, deputados que tiveram em torno de 35 mil votos, por uma questão de acomodação partidária exigida pela legislação eleitoral a ser aprovada no Congresso Nacional, querem ingressar no PT. Muitos parlamentares petistas tiveram cerca de 20 mil votos e, com a mudança na lei, dificilmente terão condições de serem eleitos caso outros candidatos mais fortes disputem a eleição pela sigla.

APARTE  – O deputado Evaldo Gomes disse que o Solidariedade está aberto para quem quiser ingressar e que a intenção é lançar chapa completa de candidatos a estadual e federal; e que é favorável à limitação das candidaturas ao número de vagas em disputa. Evaldo Gomes defendeu que os partidos devem ser fortalecidos. No Congresso, há parlamentares que foram eleitos por partidos com os quais não tem nenhuma afinidade ideológica e isso precisa acabar, entende.

VACINAÇÃO
– Cícero Magalhães disse também que os comerciários que trabalham em farmácias e supermercados estão sem receber quando vão receber a vacina contra a covid-19, apesar de atuarem em setores considerados essenciais.

Teresina, segundo ele, está muito atrasada na vacinação por faixa etária porque foram incluídos como prioridade vários grupos de profissionais que nem estavam na lista de risco.

Magalhães afirmou ainda que tomou conhecimento de que o Conselho Municipal de Saúde e a Fundação Municipal de Saúde querem retomar a vacinação por faixa etária, deixando de lado as prioridades. Isso, segundo ele, prejudicaria os comerciários. O deputado vai apresentar um requerimento pedindo a presença de representantes do Conselho para explicar na Assembleia as medidas relativas à vacina.